Inspirações

Escolas podem mobilizar a leitura entre pais e alunos

Iniciativas usam a literatura para ensinar língua portuguesa e estimular hábito na família

 

Não é nenhuma novidade que a prática da leitura não é muito comum na rotina da população brasileira. Só na capital paulista, por exemplo, cerca de 4 em cada 10 paulistanos declaram não ter lido nenhum livro nos últimos 3 meses, de acordo com levantamento da Rede Nossa São Paulo.

Para tentar reverter essa cultura, instituições de ensino têm se mobilizado para buscar soluções inovadoras de incentivo à leitura na comunidade escolar.

No Colégio Anglo 21, uma forma de mobilização dos alunos para a prática leitora é usar a literatura para nortear diferentes conteúdos e competências do currículo escolar.

Segundo o coordenador do Ensino Fundamental II José Modesto, trabalhar metodologias que auxiliem na sólida formação leitora do aluno auxilia no desenvolvimento autônomo.

“Além da imaginação, a leitura estimula a independência do jovem, que passa a entender melhor a complexidade do mundo e, consequentemente, o seu lugar nele e os desafios da sua própria existência”, explica Modesto.

Ele fala que, no colégio, cada turma da Educação Infantil ao Ensino Médio trabalha a Língua Portuguesa por meio de um eixo norteador de leitura, que direciona as habilidades a serem aprendidas em cada ano.

“No 6º ano, por exemplo, o eixo é literatura e oralidade, dessa forma, contos e fábulas são trabalhados em suas estruturas de gênero, mobilizando, nelas mesmas, as produções textuais dos alunos. Já no Ensino Médio, trabalhamos de forma contextualizada e significativa a literatura com foco nos títulos exigidos nas provas do vestibular, organizando o conhecimento que os alunos precisam ter para a realização das provas em tempo hábil”, diz. 

Para trabalhar de forma constante a leitura com os estudantes, o coordenador conta que cada aluno está sempre com dois livros em mãos: o de leitura compartilhada e o de leitura autônoma.

“Os livros mais desafiadores sempre são trabalhados em sala de aula, na prática da leitura compartilhada e os menos complexos em casa, mas ambos desenvolvem o mesmo eixo norteador”, afirma.

O resultado dessa metodologia tem reunido a comunidade escolar, de pais, alunos e professores, para atividades como o Festival Literário, que viverá em setembro a sua segunda edição, com o tema “Travessia”.

“Com o Festival, os pais também se sentem incentivados a participar dessa prática com os filhos”, explica. “Nós estimulamos encontros para que eles leiam sobre temas do cotidiano dos filhos, como assuntos relacionados à adolescência por exemplo”. 

Na edição desse ano, o Festival Literário acontecerá no Colégio Anglo 21 no dia 14 de setembro, sábado, das 9h às 13h, e será aberto ao público interessado em conhecer a metodologia e as produções dos estudantes.

“O Festival mobiliza os alunos que mostram seus trabalhos sobre diferentes obras, atuam no Sarau, participam do concurso literário, da mesa de autores e envolvem amigos e familiares para participarem”, conclui.

 

Leia também: Colégio Rio Branco compartilha práticas educacionais em livro

Leia também: Como escolher escola dos filhos

 

Fonte: Primeira Página

Redes Sociais