Feira

Tendência do mercado de livrarias: lojas temáticas e independentes

 

Palestra do presidente da CBL – Câmara Brasileira do Livro, Vitor Tavares, mostra o cenário para a sobrevivência das livrarias.

 

Nos Estados Unidos, o número de livrarias até 2009 diminuiu 43%, e de lá para cá as pequenas lojas independentes e temáticas passaram de 1651 para 2272, crescimento de 35%. O que isso representa?

De acordo com o presidente da CBL, Vitor Tavares, trata-se de uma tendência também observada no Brasil, aonde as grandes cadeias livreiras vêm fechando as portas. A receita: “A livraria vai bem quando o dono é o livreiro, o comprador”, diz Tavares.

O presidente da entidade menciona a pesquisa realizada em 13 estados norte-americanos pelo professor de Harvard Ryan Taelli. De acordo com pesquisador, as razões para o sucesso das livrarias independentes tem a ver com a identificação com a comunidade, a relação com as pessoas do bairro; a curadoria, que é conhecer o gosto do seu cliente; e a convergência, a promoção de eventos e a conexão com o público pela experimentação.

Questionado sobre se a loja física vai desaparecer, diante do surgimento da internet, Tavares disse que não, loja física e on line precisam conviver, segundo ele, seja por meio de market places como a Estante Virtual, Amazon ou Submarino, como via e-commerce.

O presidente da CBL lembrou que a entidade publicou um guia de orientação sobre “Como abrir uma livraria”, desde a escolha do local, o contrato de locação, definição de acervo, estoque de livros, entre outros.

Presidente da ANL – Associação Nacional de Livrarias, Bernardo Gurbanov participou do Talks abordando a diversificação para agregar valor.

 

Fonte: Primeira Página

Redes Sociais