press release

Papelaria afetiva precisa de cuidados especiais na exposição e divulgação

Um desafio comum para as papelarias é ir além do período de volta às aulas e ter um volume de vendas maior e mais consistente durante todo o ano. O tema foi abordado na palestra dada por Milu Spivack, consultora, criadora de conteúdo e marketing da Fina Ideia, marca especializada em papelaria afetiva. A profissional participou da trilha de conteúdo da Escolar Office Brasil, aberta neste domingo (31), no Pavilhão Vermelho do Expo Center (SP).

Intitulada “Papelaria criativa e afetiva: venda o ano todo!”, a palestra aconteceu na arena Escolar Experience, onde o público tem acesso gratuito a uma intensa programação de palestras e apresentações de especialistas e profissionais de destaque até o próximo dia 3.

A papelaria afetiva aposta em linhas de produtos capazes de sensibilizar o público por meio da memória afetiva e do resgate do papel como objeto de desejo e de presente. Isso inclui agendas, planners, cadernos e kits nos quais o protagonismo está no papel, na caneta, na escrita e na decoração dessas peças, que são produzidas com material diferenciado, de qualidade e acabamento superior. São produtos que se destacam pela criatividade e pela exclusividade de estampas e formatos, além da personalização.

Para ter sucesso na venda desses produtos, Spivack recomenda: “Não basta investir nesse segmento de produtos, é preciso saber divulgá-los do jeito certo. Isso significa ter um espaço separado, que dê visibilidade. Se estiver misturado com outros itens, as pessoas não saberão reconhecer o valor desses produtos”.

A divulgação digital, por meio de redes sociais, é outro ponto fundamental para estimular as vendas. “Os produtos em si já são instagramáveis e os espaços dedicados a eles também precisam ser. Pode abusar de fotos e vídeos bem produzidos e caprichar na divulgação em redes sociais. Isso é imprescindível”, reforça a consultora. “A dica é saber dar o destaque necessário para valorizar esses produtos e torná-los ainda mais desejáveis.”

Queridinho entre os amantes de papelaria, lettering se torna fonte de renda

O Lettering – arte de desenhar letras e palavras para expressar ideias e sentimentos – tem ganhado espaço entre os amantes de papelaria há alguns anos. Porém, a pandemia potencializou essa tendência, já que as pessoas recorreram à técnica como uma maneira de expressão além da padronização de formatos prontos do computador. Hoje, a arte deixou de ser apenas um hobby e também se tornou fonte de renda.

A artista Camila Pegado (@camilapegado_) iniciou nesse meio em 2016, quando começou a estudar o Lettering para confeccionar pequenos quadros com frases motivacionais. À época, ela trabalhava em uma empresa de tradução. “A arte sempre me chamou. Começou como um hobby e as pessoas começaram a se interessar, então, comecei a fazer de tudo, de quadrinhos a paredes inteiras. Em 2020, deixei meu emprego e hoje minha renda é 100% do lettering.”

Na avaliação de Camila, que atualmente também mantém um curso para ensinar a técnica, as pessoas estão valorizando mais as artes, principalmente as manuais, por causa da possibilidade de personalização. “Hoje, há uma junção até com o ambiente escolar. Muita gente aprende o Lettering para decorar os cadernos, escrever um título bonito”, exemplificou.

A influenciadora Isa Hermyone (@hermyonebarbosa) estuda e pratica a arte desde 2018 e, ainda que tenha apenas 15 anos, já ganha dinheiro com isso. “O Lettering permite que eu me expresse por meio da arte, que pode ser um hobby, uma terapia e um trabalho ao mesmo tempo”, contou. A artista destacou a pluralidade da técnica, lembrando que já personalizou quadros, paredes e até balões.

As profissionais decoraram painéis e objetos na tarde deste domingo (31) na Escolar Experience, arena de conteúdo da Escolar Office Brasil 2022. Popularizado no Brasil nos últimos anos, essa arte acabou criando um importante segmento de mercado com a venda de canetas, tintas, papéis e outros materiais especialmente comercializados para a prática.

Artistik aposta em materiais elegantes e sustentáveis para papelaria

A Artistik, distribuidora oficial e exclusiva de marcas para uso profissional e artístico, apresenta para o público da Escolar Office Brasil produtos com design diversificado, cores chamativas e material ecológico.

Dentre as novidades do portfólio, chama a atenção a caneta Caran d’Ache –  uma linha de produtos feitos a partir de cápsulas de café reciclável, em parceria com a Nespresso. A linha conta com canetas e lapiseira feita de cápsula reciclada, e o grafite da lapiseira contém borra de café misturado, o que permite um traçado mais macio e de fácil esfumar. Outro produto sustentável é o lápis de madeira de reflorestamento que vem em embalagem ecológica feito em dobradura, sem uso de cola.

A marca também possui uma coleção de canetas profissionais e apontadores com um design mais arrojado e cores exclusivas, que podem ser usadas na decoração do ambiente profissional. Outra jóia da marca é a caneta tinteiro e o apontador na cor Klein Blue, assinada pelo designer francês, Yves Klein.

A Hahnemühle, empresa alemã fabricante de papéis artísticos, é outra marca que a Artistik apresenta no evento. Todos os papéis são livres de ácidos, veganos (feitos de fibra de algodão) e resistente ao envelhecimento. Esse produto é voltado para artistas que procuram um material com alta resistência. Na Escolar Office Brasil, a marca lançou o bloco Selection, com 14 folhas de papéis com texturas e gramaturas variadas, o interessante deste produto é que o consumidor pode descobrir qual o melhor papel para o seu tipo de arte. Também como destaque a linha Watercolour book collection, que são cadernos feitos de papel 100% algodão –  material mais nobre para quem trabalha no segmento de desenho artístico ou usa técnicas variadas de pintura.

De acordo com Glauce Orosz, gerente de negócios, expansão e inteligência de mercado da Artistik, “são produtos muito específicos e diferenciados para artistas, de ótima qualidade, que temos o maior orgulho em trazer para o mercado brasileiro”.

Escolar Office Brasil oferece mentorias com orientação para desenvolvimento de negócios

Como parte das cerca de 100 horas de trilha de conteúdo programada, a Escolar Office Brasil traz especialistas em diversos segmentos para dar mentoria a grupos de visitantes. O objetivo é oferecer orientações relevantes que possam impactar negócios por meio da troca de experiência e do desenvolvimento de uma visão estratégica e prática que gere resultados. São duas mentorias por dia, de domingo (31) a terça-feira (02), com temas diferentes em cada uma delas.

No primeiro dia, o tema da Mentoria 1 foi “Papelaria ON e OFF, o posicionamento online que enriquece o offline”, com Tiele Machado, Diretora do NewOffice, iniciativa itinerante que tem como propósito fomentar negócios no segmento de artigos de papelaria e escritório.

“Nosso papo hoje é sobre como levar o digital para as papelarias físicas para que saibam como se posicionar melhor online”, explica Machado. “A grande dificuldade que muitas dessas papelarias enfrentam é o de não saber o que fazer na internet, não ter ideias sobre o que publicar e como atrair mais clientes.”

Como principal dica, ela reforça que é fundamental ter presença e frequência constante nas postagens e interações como forma de obter resultados. “Além disso, é preciso ter paciência, porque leva um tempo para ver o efeito positivo desse trabalho”, finaliza.

Já a Mentoria 2 teve como tema “Gestão de pequenos negócios: a importância dos processos”, com Daniela Ferreira,  Diretora de Operações da Meg & Meg, e-commerce de produtos de papelaria.

“As pessoas têm a ilusão de que um negócio, por ser pequeno, não demanda uma grande organização, que dá para fazer algo simples e mais caseiro, sem processos bem planejados e definidos”, alerta Ferreira. “A verdade é que independentemente do seu tamanho, alguns processos são necessários para que se possa crescer. O que quero mostrar é como isso é possível e acessível para todos os tamanhos de negócios, sem ser burocrático ou chato de executar.”

Lojistas devem criar um espaço para brinquedoteca, afirma Personal Organizer

Os lojistas devem sempre criar um espaço de brincar para acolher as crianças e dar tranquilidade de compra aos pais. A orientação é da consultora, palestrante e produtora de conteúdo em Organizaçāo Pessoal e Residencial, Kalinka Carvalho, que abriu as apresentações no Anpop Brasil Lab, durante a Escolar Office Brasil, que vai até a próxima quarta-feira (3) no Expo Center Norte (SP), para falar sobre “Organização Infantil”.

Além do aspecto comercial, ter um espaço lúdico ajuda na criação do hábito da organização que, segundo Kalinka, deve ser estimulado durante toda a formação dos pequenos e alguns objetos da própria papelaria, podem ajudar  a estabelecer um lugar para cada brinquedo e a criar uma rotina. “O local precisa ser dividido em vários espaços como para leitura, com livros infantis, pintura, com papel, lápis de cor e canetinhas, pintura, tudo isso delimitado com tapete”, afirma.

A especialista alerta, no entanto, que é preciso evitar excessos. “As crianças não precisam de muito para se divertirem. “Essas dicas servem também para os pais fazerem em casa um local onde a criança possa brincar”, afirma

Organizado pela  Associação Nacional de Profissionais de Organização e Produtividade – ANPOP, o espaço utiliza materiais dos próprios expositores durante as apresentações.

Licenciamento de marcas é aliado para vender mais

O licenciamento de marcas em produtos escolares é um aliado para os fabricantes e lojistas do setor da papelaria venderem mais. Em painel realizado no espaço Escolar Experience, durante a 34ª Escolar Office Brasil, representantes da indústria destacaram que a ferramenta dá visibilidade às marcas e ajuda a atrair clientes no varejo. O evento segue até quarta-feira (3) no Expo Center Norte, em São Paulo.

Michelle Cirera, gerente de desenvolvimento de produtos da DAC, relatou que a venda de aventais escolares – um dos carros-chefe da marca – cresceu dez vezes depois que a empresa começou a trabalhar com produtos licenciados, em 2018. “Os produtos licenciados têm muito apelo emocional porque a pessoa vê o produto e pensa ‘eu vi isso na TV na semana passada’, e isso agrega um valor muito maior.”

Engana-se quem pensa que os produtos com personagens atraem apenas as crianças. Hoje, as marcas também apostam em licenças que agradam pessoas de todas as idades, inclusive os adultos. A dica é entender qual o objeto e o tema que agradam o público-alvo. “Na pandemia, tivemos mudanças significativas de consumo, então, lançamos produtos voltados para o home office e home schooling, como itens de organização”, exemplificou Priscila Haddad, head da categoria de papelaria da Disney.

Os produtos licenciados podem ser a porta de entrada de novos clientes em sua loja, seja física ou virtual. Portanto, mesmo sendo itens com custo maior, os profissionais indicam que o varejista inicie nesse mercado com um portfólio menor e depois amplie as opções de acordo com a demanda dos consumidores. “Ter um produto licenciado na vitrine faz muita diferença. Não precisa comprar muito ou comprar sempre, mas ofereça algumas opções para seu cliente”, recomendou Ariel Fernando Schajnovetz, diretor da Xeryus Importadora e Distribuidora.

Empresas retornam à Escolar Office Brasil para lançar produtos que prometem cativar o público

Muitas empresas estão retornando à Escolar Office Brasil para apresentar seus lançamentos e novidades na 34ª edição da feira. É o caso da Acrilex, que ficou dez anos sem participar. Já as empresas Sertic e  Summit, haviam planejado estar no evento em 2020, mas a pandemia adiou a volta. As três marcas veem a presença no principal evento de produtos para papelarias, escolas, escritórios e organização das Américas como estratégica para movimentar as vendas ao longo do ano.

Jonny Duarte, analista de Marketing da Acrilex, lembra que a empresa participou por muitos anos da feira. “Em determinado momento entendemos que tínhamos alcançado nossa meta e decidimos direcionar os recursos para outras ações, pois tínhamos entrado também no ramo de brinquedos. Mas sempre acompanhamos a Escolar”, garante.

Com a pandemia, a Acrilex, de acordo com Duarte, decidiu “fazer uma reestruturação e voltar com tudo para a feira”. “Nós acompanhamos as mudanças do mercado, com as papelarias indo além dos materiais escolares e hoje oferecemos os mais diversos produtos, desde cadernos e canetas até produtos para artistas e artesãos. E estamos com algumas novidades, como a linha de autosserviço, o guache em bastão, a lapiseira mágica, que vale por mais de 100 lápis”.

A Sertic também volta à feira depois de ter participado de todas as edições até 2017.  “Vimos o público mudar e decidimos dar um tempo”, afirma Ricardo Ferreira, gerente de Marketing da marca. “Mas já tínhamos decidido retornar desde 2019, mas veio a pandemia e tudo parou”.

Agora, com um espaço maior, a empresa traz diversas novidades como o Cis Criatic, que auxilia no desenvolvimento criativo, mantendo o lúdico, mas fora da linha tradicional.”Nós não somos de seguir tendência, mas de criar tendências”, garante Ferreira.

Larissa Polesello, coordenadora de Marketing da Summit, lembra que até 2019 a empresa tinha participado de todas as edições da feira. “Resolvemos fazer um teste e não estar presente em 2019, mas já sabendo que voltaríamos no ano seguinte, mas não foi possível devido a pandemia”, recorda. Este ano, o estande da marca traz diversas novidades, muitas lançadas durante o período de isolamento social. “Menos durante a pandemia, não paramos, inclusive lançando a marca Wave. Também trazemos para a feira os novos licenciamentos como o Naruto e o Lightyear, e os novos monsters truck da Hot Wheels. Temos ainda as novas linhas Tris conhecidas como Vibes, que é para colorir além do ambiente escolar, e a Hellic, para amantes de papelaria, que chamamos de fofurice”.

Coerência, consistência e constância são essenciais para criar uma love brand

Com certeza você conhece alguma marca que tem uma legião de fãs que, independentemente do preço, não abrem mão de consumir seus produtos e não perdem uma oportunidade de falar o quanto amam aquela empresa. Essas são as love brands, marcas-desejo cujos clientes são fiéis e divulgam os produtos por vontade própria. Trata-se de uma relação não apenas comercial, mas principalmente emocional.

Entretanto, se tornar uma love brand requer uma estratégia guiada pelo posicionamento da marca. Em palestra realizada neste domingo (31) na Escolar Experience, durante a Escolar Office Brasil 2022, Isis Vasques e Marcelo Manha Vilela, respectivamente diretora-executiva e diretor de estratégia da Agência Ecco, explicaram que são necessários os “três COs”: coerência, consistência e constância. “É preciso passar a mesma mensagem forte todos os dias”, resumiu Isis.

Um exemplo é a alemã Stabilo, que iniciou a estratégia para se tornar uma marca-desejo no Brasil há aproximadamente sete anos. Hoje, a conta brasileira do Instagram é a mais seguida entre as páginas da marca pelo mundo. Os fãs criam conteúdo nas redes sociais – com perfis que se assemelham aos fã clubes de celebridades –  divulgando e discutindo sobre os produtos da marca. No Tiktok, uma hashtag criada por esses clientes fiéis já tem mais de 500 mil visualizações.

A empresa que deseja se tornar uma love brand deve seguir um caminho de quatro passos. São eles: esclarecer quem você é e qual é o seu público, definir como e por onde você irá se relacionar com o público, focar no relacionamento e seguir os “três COs”. “O mais importante é ter paciência. Construir uma love brand é posicionar a marca na mente, no bolso e no coração das pessoas”, afirmou Vilela

Escolar Office Brasil 2022:

Data: 31 de julho a 3 de agosto

Horário: das 11h às 20h (no dia 3/8, das 11h às 18h)

Local: Expo Center Norte (Rua José Bernardo Pinto, 333 – Vila Guilherme – São Paulo – SP)

Organização: Francal Feiras

Para mais informações e credenciamento gratuito, clique aqui

Galeria de fotos clique aqui

Apoio Institucional: ABIGRAF SP – Associação Brasileira da Indústria Gráfica Regional São Paulo; ABIACAV – Associação Brasileira das Indústrias de Artefatos de Couro e Artigos de Viagem; ABFIAE – Associação Brasileira dos Fabricantes e Importadores de Artigos Escolares e de Escritório; ANPOP Brasil – Associação Nacional de Profissionais de Organização e Produtividade; Brasil Escolar – Rede Nacional de Papelarias; e SIMPA – Sindicato do Comércio Varejista de Material de Escritório e Papelaria de São Paulo e Região.

Sobre a Francal Feiras

Promotora de eventos com capital 100% nacional, a Francal Feiras é um dos principais players do mercado de feiras de negócios e contribui não só para o desenvolvimento econômico e social dos diferentes setores em que atua por meio dos 12 eventos de seu portfólio, como também movimenta efetivamente a economia dos locais onde eles são realizados.

Movida pela mesma velocidade que afeta a sociedade de consumo e o ambiente de negócios, a Francal Feiras oferece ao mercado entregas inovadoras por meio de eventos que servem como uma importante plataforma de negócios, experiências, conexão e conhecimento para toda a cadeia produtiva. Com mais de cinco décadas de atuação, é referência no Brasil e reconhecida no exterior.

Mais informações para a imprensa:
Marcela Lage | Myrian Vallone | Teresa Silva
2PRÓ Comunicação
imprensa@francal.com.br

Ao navegar neste site, você aceita os cookies que usamos para melhorar sua experiência.